Archive for Viagens

Cannes: Luxo e Glamour

Astros de cinema, hotéis de luxo e praias de tirar o fôlego. Há combinação melhor? Bem-vindo a Cannes, a Hollywood da Riviera Francesa. Famoso por seu festival de cinema, que ocorre anualmente no mês de maio, esse balneário é o que há de melhor na região da Côte d’Azur.

Mesmo que não dê para tirar férias quando nomes como Russell Crowe, Woody Allen e Michael Douglas estão lá, definitivamente Cannes é um lugar para ser visitado no verão. Procurando as águas do Mar Mediterrâneo, ricaços dão vida a cidade desfilando seus carrões, jantando nos excelentes restaurantes e, principalmente, pegando sol nas maravilhosas praias.

O local onde tudo acontece é La Croisette. De um lado da rua, os hotéis cinco estrelas, do outro, as praias. Aqui, não há jeito, tem que estar disposto a gastar. Até a extensão de areia são privadas. Para frequentá-las só se hospedando nos hotéis donos da costa. Alguns até liberam a entrada diante do pagamento de uma taxa diária na média dos 20 euros. Se acha que sairá caro, as opções são as praias municipais ao leste e oeste da Cannes. Mas, se as particulares já são cheias, imagine as públicas.

Opção mais tranquila é fazer um passeio de um ou dois dias até Ilês de Lerins, um pequeno arquipélago a 15 ou 30 minutos de Cannes. Sainte-Marguerite e Saint-Honorat são as maiores ilhas e possuem boa infraestrutura de restaurantes, boates e cafés. Não deixe de aproveitar o licor artesanal da região. E praias? As melhores ficam no sul de Sainte-Marguerite. Já em Saint-Honorat, uma interessante pedida é se hospedar no albergue da Abadia de Notre Dame de Lérins. Em troca, o turista deve ajudar na rotina da igreja.

Voltando, faça um passeio pela região de Vieux Port e Le Suquet, regiões mais autênticas da cidade, onde modernidade e passado se misturam. Na área velha do porto, pode-se assistir antigos barcos de pescadores ao lado de iates de luxo. Já Le Suquet possui estreitas ruas onde séculos de história se misturam com construções recentes. Destaques para um castelo do século 17 que virou o museu Musée de la Castre e a Igreja de Notre-Dame d¿Esperance datada do século 17.

Assistir filmes durante o Festival é só para convidados. Mas o luxo de poder conhecer os cinemas de um dos centros mundiais da indústria cinematográfica, não. Duas são as salas de cinema que merecem uma visita: Cinefil Cinema Arces, com programação mais artística, e Cinema Olympia, mais indicado para os amantes das megaproduções de Hollywood. Cassinos também têm vez. Destaque para o Croisette, que fica dentro do hotel Lucien Barrière, próximo ao Palais des Festivals, onde ocorre a final do festival de cinema. Já para comprinhas de alto-luxo, a dica é aproveitar, além da rua principal Croisette, a rua d’Antibes.

Comments (1) »

Nice

Nice só perde para Paris entre as cidades francesas mais procuradas pelos turistas. A capital da Côte d’Azur, banhadas pelas águas azuis do Mediterrâneo, oferece opções que vão desde belas praias particulares até seus excelentes atrações culturais.

Nas praias de Promenade de Anglais é onde a badalação e a diversão acontecem. Atletas jogam vôlei e correm, famílias aproveitam a calmaria do mar para se banharem e jovens bronzeiam-se enquanto paqueram. No mar, as lanchas disputam espaços próximos a costa para ancorar e praticar esqui aquático.

Vale lembrar que durante o verão, a areia pode ficar lotada. Então, se desejar fugir da muvuca, opte pelas particulares. São elas: Castel Plage, Opéra Plage, Plage Beau Rivage, Blue Beach, Neptune Plage. De noite, o Promenade de Anglais transforma-se em ponto de encontro nos bares e restaurantes. Outra opção, principalmente para final de tarde, é a praça Masséna, principal centro comercial.

Vizinha de Cannes, Saint Tropez e Montecarlo, Nice soma às praias o atrativo imbatível de seus museus. Por exemplo, os espaços dedicados a Matisse, Chagall e Picasso. O movimento de arte experimental Escola de Nice funciona no ateliê Soardi, numa antiga casa de Matisse, e tem mostras no MAMAC (Museu de Arte Moderna e Arte Contemporânea).

Os marcos arquitetônicos de Nice são a Ópera de Nice, construção do século XIX palco de concertos, balés e recitais, e a Catedral Saint-Nicholas, a maior catedral ortodoxa russa fora do ex-país soviético.

Na cidade velha, ou Vieux Nice, o destaque é para o cours Saleya, onde funciona um tradicional mercado de flores, frutas, vegetais, e aonde estão alguns dos melhores restaurantes e bares. Aquí dá para sentir o clima da autêntica Nice andando pelas estreitas ruas do bairro, e ter a melhor vista da cidade no Parc du Chateau. A área do porto é frequentada basicamente pelos locais. O grande barato aqui é comer nos restaurantes que ficam sobre pequenas embarcações, olhando de longe as festas no convês de iates milhonários.

Sem dúvidas, Nice, assim como toda Côte dAzur é para ser visitada durante o verão europeu, entre os meses de Junho e Setembro. Mas quem quiser uma experiência diferente deve escolher o período de Carnaval, pois ocorre a mais importante celebração do Carnaval francês.

Leave a comment »

Basicamente, Paris

Paris pode ser considerado o principal destino turístico do planeta. Uma arquitetura fabulosa, bistrôs deliciosos e um clima que transpira romantismo bastam para justificar a afirmação.

A Torre Eiffel encabeça listas dos indispensáveis, e pode bem ser o ponto de partida de um roteiro. Conheça, depois, no centro da cidade, a Île de la Cité, onde fica a famosa catedral de Notre-Dame, e a Île St-Louis, uma elegante área residencial com excelentes lojas, galerias e restaurantes. Não perca a Sainte Chapelle e seus magníficos vitraux.

A capital francesa também tem variadas opções de museus. O mais conhecido é o Louvre, com muito mais que a Monalisa de Leonardo Da Vinci: as coleções de escultura grega e de arte egípcia são inesquecíveis. Mas não deixe de conferir também o fabulosos Centro Pompidou, com uma grande coleção de arte moderna e contemporânea, e o Musée d’Orsay.

Conhecer Paris exige andar. E bastante. Caminhe pelas ruas de Le Marais, bairro onde estão alguns dos melhores restaurantes, bistrôs e lojinhas da cidade. Aqui fica a casa onde morou Victor Hugo e a bela Place des Vosges.

Já os famosos jardins franceses têm como representante máximo o Jardim Luxemburgo. Reduto dos artistas, o montanhoso bairro de Montmatre possibilita a melhor vista da cidade a partir da igreja de Sacre-Coeur e um passeio fantástico. Já para jantar num restaurante que preserve o estilo da velha Paris, visite a Butte-aux-Cailles.

Lugar de descanso de grandes nomes da história francesa, não perca o Panthéon. E, para fechar o roteiro básico, encante-se com as grandes grifes nas lojas da Avenida Champs-Elysses e da rua Faubourg Saint Honoré e termine com uma foto com o Arco do Triunfo ao fundo.

1- O Museu d’Orsay vale pelas obras e pela vista da cidade

2- A Torre Eiffel encabeça listas dos indispensáveis e pode bem ser o ponto de partida de um roteiro

3- Na Île de la Cité, a famosa catedral de Notre-Dame

4- Uma visita a Paris não está completa sem conhecer o Louvre; reserve tempo para a coleção de arte do Egito

5- Ícone modernista, Centro Pompidou oferece excelentes mostras temporárias

6- Place des Vosges, no tradicional bairro de Le Marais, onde morou Victor Hugo

7- No alto de Montmartre fica a igreja do Sacre Coeur

8- Na Butte aux Cailles pode se respirar o ar de uma Paris de outras épocas

9- Não perca o Panthéon, lugar de descanso de grandes nomes da história francesa

10- Não há como não se encantar com a imensidade do Arco de Triunfo e com o luxo agitado dos Champs Elysées

Leave a comment »

Paraíso

A vida da gente é tão corrida, são tantas informações e coisas acontecendo ao mesmo tempo que ao final fo dia nossa cabeça tá cheia.
Por isso, nas suas próximas férias, procure viajar para lugares paradisíacos.
Sem opção?

1 – Barbados

Para luxo e glamour, Barbados é dificilmente superado. País mais ao leste do Caribe, é onde muitos ricos advogados, banqueiros e magnatas de cinema americanos têm suas mansões de praia. Eles e os recém-casados gostam da discrição pela qual a ilha é conhecida. Se estiver disposto a gastar, não é onde dormir o que falta. Sandpiper é um hotel ultra luxuoso, que fica na praia com suas suítes escondidas entre magníficos jardins tropicais. Quem gostar pode passar seu tempo jogando golfe ou se refrescando na água do mar ou da piscina. Vale a pena visitar a reserva ecológica Barbados Wildlife Reserve, onde moram os macacos verdes locais.

2 – Bornéu, Brunei / Indonésia / Malásia

A ilha de Bornéu possui uma biodiversidade excepcional. Sua parte norte pertence à Malasia, e a parte sul à Indonésia. Fica na ilha o sultanato de Brunei. Com florestas intactas, paisagens deslumbrantes, praias de areia branca e uma vida marinha exótica, Bornéu é um dos principais destinos para quem quer combinar férias tropicais com aventura. Conhecer a casa de uma família local, passar uma ou duas noites na selva, matar o tempo na praia e ver os orangotangos (espécie ameaçada de extinção), ao norte da ilha, são algumas das possibilidades para quem visita Bornéu.

3 – Ilhas Cayman, Reino Unido

Território britânico próximo de Cuba e da Jamaica, as Ilhas Cayman, no Caribe, obtiveram boa parte de sua fama por causa de suas praias imaculadas,seus pores do sol românticos e seus hotéis de luxo. Mas foi um outro aspecto paradisíaco o que as fez famosas: as ilhas são o que se conhece como paraíso fiscal, ou seja, um local onde guardar fortunas com bastante conforto quanto a sigilo e impostos. Observadores de pássaros se maravilham com a variedade: papagaios, pombos, garças tricolores, carquejas, marrecos de asas azuis, e muito mais. A possibilidade de hospedagem é ampla. Por exemplo, os oito apartamentos de praia do Turtle Nest Inn, a 15 quilómetros da capital, Georgetown. Os apartamentos têm uma arquitetura de inspiração espanhola, terraços, paredes caiadas e tetos de terracota

4 – Ilhas Cocos, Austrália

Situadas no Oceano Índico, perto da Tailândia, as ilhas Cocos pertencem à Austrália, ainda que estejam a quase 2,8 mil de Perth. Felizmente, não estão lotadas de grandes resorts e hotéis de linha. Charles Darwin passou pelas ilhas para coletar mostras, quando estava dando a volta ao mundo no Beagle, e se maravilhou pela riqueza da flora e da fauna. Mergulhadores (tanto com snorkel como com garrafas), e passageiros de barcos com fundo de vidro podem avistar mais de 500 espécies de peixes, tubarões e tartarugas. As ilhas são tambem lar de muitas espécies de aves marinhas, como andorinhas, fragatas, garças e limícolas. O clima tropical significa dias de sol, mas também certas precipitações leves entre março e julho. Nade, ande de biclicleta, pesque, saia de caminhada ou simplesmente jogue-se na rede.

5 – Projeto Eden, Reino Unido

Aqui o paraíso é tropical, mas não é natural. E nem sequer fica nos trópicos. Maior atração turística de Cornualha (condado que fica no sul da Inglaterra), começou como uma mina de giz abandonada e uma ideia que parecia maluca: reproduzir os climas do mundo nesta região fria e úmida. Atualmente, seus dois biomas fornecem um habitat para dois climas artificiais. No bioma de floresta tropical – o maior conservatório do mundo, plantas como mangueiras, samambaias de Fiji, palmeiras e árvores australianas, crescem num clima úmido a uma temperatura de 30 graus. O segundo bioma, um pouco mais frio, inclui cítricos, olivas, cactus californianos; uma grande variedade de flora não-tropical com representantes do mundo todo. Planeje passar aqui pelo menos quatro horas, para que sua visita seja bastante completa

6 – Jericoacoara, Brasil

O Brasil é merecidamente famoso por ter algumas das melhores praias do planeta: não poderia ficar de fora numa lista de paraísos tropicais. No caso, a representante é Jericocoara, a 300 km ao norte de Fortaleza, e não decepciona. Há 20 anos era uma modesta aldeia de pescadores que não tinha nem rede telefônica. A eletricidade chegou ali só em 1998. Embora a cidade, graças ao turismo internacional, tenha crescido em tamanho e riqueza, permanece relativamente subdesenvolvida. Isso é sua vantagem: os 6.850 hectares do Parque Nacional de Jericoacoara incluem dunas, lagoas, praias de areia branca e um mar tranquilo. Mas a natureza não é o único atrativo: Jericoacoara é um ótimo lugar para praticar esportes radicais como surfe, kitesurfe e sandboard

7 – Ilhas Maldivas

As Maldivas, uma cadeia de atois no Oceano Índico, ao sudoeste da Índia, figuram sempre no topo das listas para uma viagem romântica sonhada. O arquipélago é o país com a mais baixa altitude do mundo: seu ponto mais elevado está a 2,3 metros do nível do mar, e a altitude média do país é de 1,5 m. A capital, Malé, onde vivem 100 mil pessoas, está a 90 centímetros do nível do mar. Este paraíso tem do que se preocupar com o aquecimento global: a nação toda poderia desaparecer em poucas décadas. As 130 vilas da cadeia One & Only são suntuosas, com acesso individual a uma praia e uma piscina privadas, terraço e banheiras espaçosas para uma noite romântica. Os quartos, ambientados com estilo tropical, têm camas confortáveis , com roupas de cama de seda, e um monte de almofadas para garantir uma boa noite de sono depois de um dia exaustivo de praia e mar

8 – Seychelles

As Ilhas Seychelles são uma nação insular localizada no Oceano Índico. O arquipélago fica entre o norte e o nordeste de Madagascar. As praias são inúmeras, todas de areias branquíssimas, e a água está entre as mais transparentes do planeta. Garantida por lei, a questão de manter um ambiente limpo é um tema levado bem a sério: a legislação ambiental das Seychelles é muito restrita, e todo projeto turístico está sujeito a uma revisão ambiental e a um longo processo de consulta com o público e os conservacionistas. Com isso, as ilhas são líderes mundiais em turismo sustentável. O resultado destes esforços é um ambiente natural intacto, onde reinam a diversidade de flora e de fauna. A vida marinha, em especial as ilhas coralíferas mais remotas, pode ser espetacular: há mais de mil espécies de peixes registradas, e muitos dos corais estão bem preservados

Leave a comment »

As preferidas deles

Todos os anos, o site masculino Ask Men elabora um ranking para definir quais são as melhores cidades para um homem viver. Pesam, de maneira diferente, a vida noturna, o custo de vida, o clima, as possibilidades laborais e, claro, as chances de paquera.

Veja quais são as escolhidas:

1 – Nova York, EUA

Nem o clima (claro!) e nem vida profissional: o que soma 20/20 pontos para a Grande Maçã é a vida noturna, puxada pela excelência dos restaurantes, nem sempre de preços absurdos. Mas as atrações durante o dia não ficam por menos. Há tantas opções que quase poderia se dizer que são demais: comida, entretenimento e esportes. Os passeios ao ar livre, com grandes parques e vizinhanças fartas em verde, somam também pontos que levam Nova York à liderança.

2 – Melbourne, Austrália

Pelo baixo custo de vida, as atividades diurnas e a qualidade do ar, Melbourne mereceu o segundo lugar na lista. Os locais afirmam que a cidade é a capital cultural do Hemisfério, e têm argumentos para defender a ousada afirmação. Em esportes, há futebol, F1 e uma grande oferta de espaços públicos para curtir bike e caiaque.

3 – Tóquio, Japão

A cidade é cara e não tem boa oferta de ar livre, mas a gastronomia, durante o dia e à noite, lhe garantem o terceiro lugar no pódio. Steven Spielberg é mencionado como um dos fãs do Ginza Kyubey, apenas um entre os muitos restaurantes de sushi da cidade. O Fashion Bar é o local descolado para beber na companhia de uma possível futura estrela das passarelas.

4 – Madri, Espanha

Comida, compras, museus e arte: a combinação que garante à outrora pacata capital espanhola o quarto lugar entre as melhores cidades para se morar. A noite começa às 23h e segue até às 6h, o que faz de Madri uma cidade que, como Nova York, não dorme. Bares como o Demode ou locais vibrantes como o Moma56 ou Pacha garantem altas baladas.

5 – Londres, Reino Unido

Os pubs de Tottenham Court oferencem uma experiência autenticamente british ao visitante: cerveja bem tirada e ambientes carregados e barulhentos. Londres é a quinta melhor cidade para um homem viver segundo o site, e nisso conta fortemente a qualidade de sua oferta noturna, com jazz, teatro, cinema e clubes. Ainda que no quesito paquera a pontuação não seja das mais altas: 7,6/10.

6 – Cidade do Cabo, África do Sul

O clima (9,5 pontos) e a qualidade da vida ao ar livre são os grandes destaques da Cidade do Cabo, cidade que este ano ganha grande visibilidade por conta da Copa do Mundo. As praias são excelentes, mas há também um belo jardim botânico, trilhas e estradas panorâmicas espetaculares. Em termos de gastronomia, a escolha é rica e variada, e os vinhos do pais só fazem é melhorar, mantendo preços adequados. Ponto negativo: a vida profissional, muito abalada por uma taxa de desemprego de 24%.

7 – Miami, EUA

Um i-Pod é mais barato em Miami do que na maioria das cidades, e a mesma coisa ocorre com um Nissan 370Z. A vida de praia é das melhores do mundo, com gente bonita caminhando, jogando vôlei ou andando de roller. E a noite ferve, com desfile de corpos sarados e a superabundância de silicone. Isso tudo faz com que Miami ocupe a sétima posição no ranking.

8 – Buenos Aires, Argentina

Los hermanos mereceram um lugar no top ten, e foi pela combinação de uma ótima balada, a gastronomia excelente e (pasme!) o clima. A diversidade cultural merece destaque, sob o mote “Buenos Aires siempre cambia”. As artes somam, com os festivais de tango, as exposições e os novos e velhos museus. Contra joga a vida profissional, mas não é por conta das crises e sim, das férias, de apenas 14 dias ao ano.

9 – Sydney, Austrália

Mais uma cidade australiana nos postos altos do ranking: o clima é excelente, o custo de vida relativamente baixo e a natureza garante uma saudável e rica vida ao ar livre. Sydney é terra de surfistas, mas há também rugby, futebol e esportes radicais. E se as garotas na praia não são (mesmo!) de se jogar fora, há outras atrações como as exposições de artes e tecnologia.

10 – São Francisco, EUA

A cidade não é cara e tem boas atrações durante a noite e, sobretudo, de dia, especialmente no que diz respeito às artes. Mas o que merece destaque especial em Frisco é a vida ao ar livre. Aberta sobre uma baía, a cidade oferece incontáveis opções de passeios, como por exemplo uma escapada de bike ao Mount Diablo. E um final de semana de degustações de vinho no Napa Valley fica a apenas 45 minutos do centro.

Ai você se pergunta onde o Brasil entra nisso. Pois é, a única cidade brasileira a fazer parte do ranking é São Paulo, e ainda assim, na 16º posição.

Leave a comment »

Os hotéis mais modernos

Se quando viaja, você é daqueles que “qualquer caminha basta”, este post não é pra você.

Agora, se você acha que um hotel deve ir mais além de um simples lugar para descansar, escolha uma das 10 opções de hotéis mais modernos do mundo e se jogue!

1 – CitizenM, Amsterdã, Holanda

Nem Tóquio, nem Dubai, nem Nova York. O hotel mais moderno do mundo está na cidade conhecida pelos seus belos canais, bicicletas e museus de arte: Amsterdã. Logo no lobby do CitizenM, computadores estarão a sua disposição para que você possa escolher todas as suas preferências como temperatura e música ambiente durante a hospedagem. A decoração traz móveis exclusivos. Os pequenos e descolados quartos abusam de luz natural por conta das janelas enormes, utilizam alta tecnologia e divertem com um curioso banheiro no meio da sala.

2 – theWit, a Doubletree Hotel, Chicago, EUA

Não se trata somente de um hotel, mas sobretudo de uma experiência. Teatro multimídia, restaurante italiano com um menu para lá de inovador, lounge com uma fabulosa vista e uma área de spa-fitness completa são alguns dos ingredientes do interessante theWit. Sua decoração é marcada por cores intensas e design contemporâneo, reflexo de uma metrópole vibrante como é Chicago. A hora do descanso fica assegurada por cômodos bem espaçosos e confortáveis, além de um completo serviço de quarto.

3 – W Fort Lauderdale, Flórida, EUA

O W Fort Lauderdale mostra que é possível transpor a energia e modernidade urbana para uma paradisíaca praia. Por isso, o público acaba sendo bem jovem. O hotel divide-se em diversos ambientes, cada um com suas especificidades de decoração variando de mais casuais até as bem inovadoras. Na área externa, encontram-se duas belas piscinas, bares e uma vasta área de lazer.

4 – Smyth Hotel, Nova York, EUA

O conceito é simples: criar um hotel sofisticado, mas pequeno, para garantir a máxima qualidade no serviço ao hóspede. Sua identidade é uma mistura entre um ambiente de boemia chique e uma espécie de ateliê ou espaço destinado às artes. Essa particular junção fez de Smith Hotel um dos mais transados hotéis-boutique de Nova York. Localizado no menos turístico bairro de Tribeca, seu lobby decorado pelo renomeado designer Yabu Pushelberg, é também um bar perfeito para drinques e petiscos. O quarto não fica para trás, com televisão LCD e um espaço para conectar o seu i-Pod.

5 – The Standard, Nova York, EUA

Trata-se de um dos principais marcos da arquitetura moderna da “Grande Maçã”. Tendo como idealizador do projeto André Balazs, o The Standard visto de fora chega a lembrar um livro aberto segundo a revista Vanity Fair. De dentro, as janelas ocupam todas as paredes da fachada dos quartos, oferecendo uma vista única de Nova York para os hóspedes e cenas curiosas e íntimas dos ocupantes para quem anda pelas ruas. Ainda há no hotel DJ tocando nas noites de quinta até sábado, um restaurante alemão com muita cerveja e um simpático e completo restaurante de carnes, além de belo bar lounge no terraço.

6 – AC Cordoba Palacio, Córdoba, Espanha

Olhando de fora mais parece um museu de arte contemporânea ou um centro de tecnologia. Mas por dentro, o AC Cordoba Palácio é um hotel de primeira linha, luxuoso e adaptado às necessidades particulares de cada hóspede. No restaurante, destacam-se os desenhos de vanguarda na parede e os deliciosos pratos preparados pelo chefe. Para os esportistas, há uma academia completa.

7 – Gansevoort Turks e Caicos

Muito mais do que um simples resort no Caribe. Localizado em Provinciales, principal ilha de Turks e Caicos, Gansevoort Turks e Caicos fica de frente à praia de Grace Bay, agraciada com o prêmio de melhor praia do mundo no The World Travel Awards. Além das tradicionais atividades caribenhas como mergulho e outros esportes aquáticos, é imperdível o excelente spa do hotel. Seus serviços e atividades colocaram o resort também na lista dos dez melhores hotéis para relaxar da Trip Advisor. De noite, a pedida é curtir os beach clubs e o renomeado bistrô nova-iorquino Bagatelle.

8 – The Circus Hotel, Berlim, Alemanha

Por ter sido berço da escola de Bauhaus, uma das mais influentes e modernas escolas de design do século 20, não teria como a Alemanha ficar de fora da lista. O The Circus Hotel busca, com sua decoração ousada e ao mesmo tempo simples, proporcionar o máximo conforto aos seus hóspedes, além de transformar sua estadia em algo memorável. Cada quarto ou área coletiva possui um estilo próprio. Junto com a arquitetura, The Circus busca se diferenciar com uma proposta de cuidado do meio-ambiente.

9 – W Hong Kong, Hong Kong, China

O melhor de Oriente junta-se com o melhor de Ocidente e o resultado é ótimo. Extremamente bem equipado tecnologicamente, o hotel faz do design um diferencial. Os quartos foram todos concebidos pelo australiano Nicholas Graham e pelo japonês Yasumichi Morita. Além de móveis, cores e camas de tirar o fôlego, todos têm direito a entrada de i-Pod e internet gratuita. Para deixar tudo perfeito, gigantes janelas proporcionam uma bela vista da cidade e no último andar, o 76º piso, está uma piscina, uma das mais altas do mundo.

10 – The Urban Hotel, Madri, Espanha

Estilo art-deco na decoração e arquitetura de vanguarda são os principais elementos do Urban Hotel , no centro financeiro, político e cultural de Madri. Esse moderno hotel-boutique cinco estrelas é referência não apenas em hospedagem como em vida noturna. Os madrilenhos aproveitam os excelentes restaurante Europa Decó e bar Glass Bar para desfrutar da intensa badala da capital espanhola.

Leave a comment »

A riqueza de Ouro Preto

Localizada a 90 km de Belo Horizonte (MG), a cidade de Ouro Preto atrai turistas por sua importância histórica e seu conjunto de construções em estilo barroco. Declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 1980, o município também abriga opções para quem gosta de curtir a natureza, como cachoeiras, mirantes, trilhas e rios.

Doze distritos compõem a cidade: Amarantina, Antonio Pereira, Cachoeira do Campo, Engenheiro Correia, Glaura, Miguel Burnier, Rodrigo Silva, Santa Rita de Ouro Preto, Santo Antonio do Leite, Santo Antonio do Salto, São Bartolomeu e Lavras Novas.

As igrejas e as capelas são o destino principal dos turistas que visitam a região. A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja de São Francisco de Assis e a Igreja São Francisco de Paula são alguns dos destaques. As construções possuem características próprias, mas sempre com a influência do barroco europeu.

A Igreja São Francisco de Assis encanta os visitantes e devotos por seu projeto arquitetônico assinado por Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e pelas pinturas de Manuel da Costa Ataíde. O início de sua construção ocorreu em 1766. O ingresso para a visita custa R$ 5.

Os amantes das belezas naturais podem optar pelos passeios ecológicos oferecidos por empresas turísticas. Não é difícil avistar quedas d’água e chegar às trilhas que levam até paisagens exuberantes. Uma das opções é o Parque Natural Municipal das Andorinhas, que abriga da nascente do Rio da Velha. Seja para tomar um relaxante banho de cachoeira ou se aventurar na prática de rapel, o local é uma boa pedida.

História

Ouro Preto recebeu esse nome em 20 de maio de 1823, quando a antiga Vila Rica foi elevada a cidade. O significado remete ao ouro escuro, coberto por uma camada de óxido de ferro, encontrado na região.

O município foi construído no auge do ciclo do ouro por artistas e escravos. Foi palco da Inconfidência Mineira, liderada pelo mártir Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Ele lutou pela Independência do Brasil no período em que o País era dominado por Portugal. Como repressão, morreu enforcado no dia 21 de abril de 1792.

Leave a comment »